Olá Little Monsters. Eu gostaria de iniciar essa coluna agradecendo a atenção que foi dada ao texto anterior. Muito legal o feedback de vocês. Suas dúvidas e seus comentários foram fundamentais para a escrita da segunda parte da minha experiência em Las Vegas para assistir aos show da Mother Monster. Muito obrigado. o/

Leia a parte um clicando aqui!

Continuando a minha viagem, ou melhor, iniciando-a... Cheguei em Las Vegas alguns dias antes do primeiro show que iria assistir, a ENIGMA. Como era minha primeira vez nos Estados Unidos, estava um pouco apreensivo com o processo de imigração no país. Cheguei diretamente por Las Vegas e já fui com as respostas das possíveis perguntas ensaiadas. Pelo que percebi, os agentes que trabalham na imigração estão por dentro dos acontecimentos da cidade. A senhora que me atendeu perguntou logo qual a minha intenção na cidade. Quando falei que estava indo para o show da Lady Gaga, ela abriu um sorriso e fez só mais algumas perguntas básicas como: onde vai ficar hospedado e por quanto tempo vai ficar. Quis saber quantos shows eu iria e quais os dias. O agente que atendeu meu amigo foi mais curioso: ele perguntou se meu amigo iria conhecer a Lady Gaga, pois ele sabia que existiam ingressos que possibilitavam o encontro. O cara estava antenado. Imigração tranquila, estávamos dentro de Las Vegas! Welcome to fabulous Las Vegas!

No outro dia pela manhã, acordei cedo, pois queria conhecer a cidade e, principalmente, ver o local do show. Andando pela avenida Las Vegas Boulevard, mais conhecida como The Strip, em vários telões era possível ver propagandas da turnê. Minha vontade era tirar foto em todos eles... e foi quase isso o que eu fiz. rsrs

Chegando em frente ao Park MGM, você logo observa algumas pessoas vestidas com camisetas da Lady Gaga. Vi que eu não era o único ansioso. A Mother Monster tinha feito shows em dezembro. O show que eu fui, do dia 17 de janeiro, reiniciou a temporada de apresentações. Então, todos estavam curiosos.

Entrei no cassino do Park MGM e logo vi a loja com os produtos de merchandising da tour. Fechada! Queria tanto comprar minhas lembranças e, inclusive, uma camiseta para usar no dia do show. Saí perguntando aos funcionários sobre o horário de funcionamento e eles informaram que só abria nos dias de show. Ódio! Fui até o bar para comprar uma cervejinha e, conversando com o bartender, ele disse que poderia chamar a "fulana de tal" para abrir a loja. Quase morri. Comprei duas camisetas, uma caneca, um chaveiro e o USB comemorativo de dez anos de lançamento do álbum The Fame.

Assim como na Joanne World Tour, nessa também não tem Tour Book. Se quiser ver detalhes dos produtos, segue o instagram da minha coleção @monstercollection. Em breve, eles também estarão na coluna Monster Collection, aqui no RDT Lady Gaga.

Na compra dos meus ingressos, eu optei por recebê-los na forma de QR Code. Se você escolher essa opção também, o código só fica disponível por volta de 3 dias antes do show. No intervalo entre a compra do ingresso e o dia do show, eu recebi vários e-mails da Ticketmaster sugerindo baixar o app para ter acesso mais fácil ao ingresso, mas o app não está disponível nas lojas de aplicativos aqui do Brasil. No dia que ficou disponível, fiz o print da tela do celular e o código foi lido sem dificuldades na entrada do show.

Chegou o primeiro grande dia! o/ Logo pela manhã recebi um novo e-mail da Ticketmaster intitulado: IMPORTANT ALERT: Lady Gaga - ENIGMA Update. Gelei! Mas, quando li, vi que eram instruções de como seria a organização da fila e a entrada no Park Theater. No texto dizia que a fila só poderia ser formada a partir das cinco da tarde e iniciaria no corredor entre a LaLa Noodle e a loja do Park Theater, ou seja, a fila é formada no corredor que passa lateral a loja de merchandising da turnê. Dica importante: ela inicia na porta giratória que dá acesso para a escada do Park Theater e termina dentro do cassino. Essas informações são referentes ao setor General Admission. Se você comprar os setores de cadeiras numeradas, a entrada é por dentro do cassino, ao lado da loja da tour.

Eu, fã e Brasileiro respeitei essa regra? Claro que não! rsrs Meio dia já estava por lá, pelos corredores. Só estávamos eu, meu amigo e a sorte. De vez em quando passava algum fã, parava, perguntava se já estávamos ali para o show, questionava se não tínhamos recebido o e-mail sobre o horário da fila... nem confiança. rsrs. Logo em seguida, esses que falaram comigo já estavam "banhadinhos", de roupa trocada, tentando um local por lá.

Por volta de três horas da tarde, já éramos umas 25 pessoas e começamos a organizar uma fila respeitando a ordem de chegada. Mas, alguns minutos depois, um segurança do Park MGM pediu para desfazê-la. Eles realmente são bem rígidos com o horário. Disfarçadamente, organizamos uma nova fila ao lado de primeira. O segurança veio novamente e pediu para todo mundo ir para dentro do cassino, proibindo o acesso ao corredor. Mas como fã é "bicho danado", de repente, agora com muitos outros, a fila começou a ser formada dentro do cassino em direção ao início do corredor. Ou seja, não tinha jeito. Isso já era umas quatro e meia da tarde, ninguém escutava mais ninguém e a fila ficou lá formada. Cinco horas liberaram o acesso para o corredor e a fila foi formada de verdade no local correto. Eu estava lá bem no início.

Com a fila organizada, funcionários do Park Theater conferiram os QR Code e colocaram pulseiras já para facilitar o acesso. Por volta de sete horas, abriram as portas da casa de show e começamos a entrar. É obrigatório passar pelo detector de metais e pela conferência de bolsas. O MAIS INCRÍVEL: a fila é obedecida sempre, sem correria. Se o seu coleguinha que estava a sua frente demorar mais do que você na conferência da entrada, o canto dele fica guardadinho na fila. Mesmo que você entre primeiro, ele continua na sua frente. Um segurança acompanha a fila até a porta do teatro e avisa que podemos entrar, mas sem correr. Eu, mais uma vez, como bom Brasileiro, apressei o passo. Não corri. Mas estava muito parecido com um competidor de marcha atlética. rsrs. Meu destino era ficar de frente para o baterista, pois analisei os shows anteriores, e vi que ali era um local que a Gaga ficava muito tempo durante o show. Vale a pena. o/

Por alguns motivos, eu sou O FÃ que não bebe em grandes shows. Gosto de estar sóbrio para não perder nenhum detalhe e, também, para não sentir vontade de ir ao banheiro e perder meu local (esse último é o principal motivo! Você me entende!). Acostumado com os shows aqui no Brasil, né? Mas lá aconteceu algo incrível: um Little Monster americano que estava do meu lado na grade saiu para comprar cerveja... passando pelo meio do povo... e pasmem!!! Ele voltou super de boa para o local dele... sem empurra-empurra, sem discutir com ninguém, sem fazer cara feia. Fiquei pas-sa-do.

Os minutos que antecederam o show foram bem divertidos. Todo mundo cantando, observando os detalhes do palco, e, principalmente, olhando pro teto, tentando imaginar de onde a Gaga desceria. O palco não é alto e fica bem próximo da grade.

O show começa. Durante as primeiras músicas, eu fiquei estático. Paralisado. Eram tantos sentimentos ativados ao mesmo tempo que travei. Observei todos os traços do rosto da Mother Monster, todos os detalhes do figurino, da maquiagem, dos acessórios... Que tanto amor! Estar perto do artista que você tanto admira é surreal. Realizar um sonho é sensacional.

POSSO DIZER QUE FORAM AS MELHORES DUAS HORAS DA MINHA VIDA? POSSO! TENHO TOTAL CERTEZA DISSO. É UM SENTIMENTO INDESCRITÍVEL.

Na galeria abaixo vocês podem ver alguns registros que eu fiz do show!