Em uma publicação feite nesta sábado, dia 09, o jornal Los Angeles Times divulgou suas previsões finais para o Grammy Awards deste ano.

Sendo uma das canções indicadas na premiação, "Shallow", que foi indicada em 4 categorias, vem sendo uma das favoritas do público para ser a vencedora da premiação. De acordo com o jornal, a canção será vencedora nas 2 categorias principais nas quais ela concorre.

Leia as previsões finais publicadas pelo jornal traduzidas:

Grammy de 2019: Novas previsões finais para os prêmios principais

Dada a crescente conversa sobre quem irá se apresentar no Grammy Awards - ou, como no caso da Ariana Grande, quem não vai se apresentar - você pode ter esquecido que o show de domingo também contará com a distribuição de oito ou nove troféus dourados. (É esperado que muitos Grammys sejam entregues na transmissão ao vivo da CBS, com os 70 restantes sendo entregues durante uma cerimônia não televisionada na tarde de domingo).

Mas esqueça sobre o maior prêmio da música que nós, pelo menos, não temos. Aqui estão algumas das previsões finais, levando em consideração que a hora do show está chegando.

'Gravação do Ano'

A escolha correta, claro, é 'I Like It', de Cardi B, Bad Bunny e J Balvin - o sucesso pop-latino irresistível que uniu gerações e pareceu uma declaração política mesmo enquanto Cardi B fazia um rap sobre seu amor de tênis sofisticados que parecem meias. Mas foi no ano passado que um número similarmente dirigido, 'Despacito', de alguma forma perdeu esse prêmio. E se tem uma coisa que a academia ama, é repetir erros (como Lamar, entre outros, podem te contar).

Absurdamente, um rapper nunca venceu esse prêmio, algo que poderia reduzir as chances de 'Rockstar', de Malone, 'God’s Plan', de Drake, e o dueto de sucesso de 'Pantera Negra', de Lamar e SZA, 'All The Stars'. O mesmo vale para 'This Is America', de Childish Gambino, apesar de que os votantes podem ter sido suficientemente movidos pelo clipe da música - no qual Donald Glover aborda a violência armada e terror racial com um olhar agressivo - para relaxar seu preconceito de costume com o hip-hop.

A aposta inteligente está em 'Shallow', de Lady Gaga e Bradley Cooper, uma música real que tem uma vida além de 'Nasce Uma Estrela' - e satisfaz o desejo bem estabelecido do Grammy de ver uma estrela pop enraizada.

'Canção do Ano'

O prêmio de mais alto nível de composição da academia - oposto ao de gravação do ano, que reconhece a performance e a produção - de música do ano tem historicamente deixado menos espaço ainda para o rap do que a outra categoria. Então é quase impossível imaginar 'God’s Plan', 'This Is America' ou 'All The Stars' vencendo aqui. (É revelador que 'I Like It' e 'Rockstar' nem mesmo foram indicadas).

As indicações de 'Boo’d Up', de Ella Mai, e 'In My Blood', de Shawn Mendes, refletem a admiração dos votantes por jovens compositores que prestaram bastante atenção em seus predecessores; a presença de 'The Middle' - o country-pop-EDM, colaboração de Zedd, Maren Morris e Grey - sugere que a academia está se opondo menos à composição em grupo do que você poderia imaginar. ('The Middle' tem sete compositores creditados, mais do que qualquer outro indicado deste ano).

Mas como as músicas recentes de Adele, Sam Smith, Lady Antebellum e Dixie Chicks antes, 'Shallow' parece preparada para levar tanto música quanto gravação do ano.

Observação: As categorias de "Melhor Performance Pop de Dueto/Grupo" e "Melhor Música para Mídia Visual" não foram analisadas (não tiveram previsões feitas) pelo jornal.

O Grammy Awards 2019 já tem sua data marcada para este domingo, dia 10, e o RDT fará a cobertura completa nas redes sociais.

Acompanhe todas as novidades sobre a Lady Gaga em nossas redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram.

Fonte

Tradução por Vanessa Braz de Queiroz

Imagem: WARNER BROS. PICTURES / Divulgação: LOS ANGELES TIMES